Guarda Ambiental alerta sobre riscos de turismo ecológico clandestino

Algumas áreas podem ser visitadas, desde que com guias autorizados

O passeio por trilhas da Mata Atlântica, com direito a banho de cachoeira e uma bela vista de Praia Grande, pode se transformar em dor de cabeça para quem resolve se aventurar em áreas de proteção ambiental da Cidade. Preocupada com a divulgação cada vez mais frequente de passeios deste tipo, realizados de forma clandestina, o Grupamento Ambiental, que integra a Guarda Civil Municipal (GCM) de Praia Grande alerta para os riscos e consequências da atividade.

De acordo com o inspetor do grupamento, Fábio Rogério Marques, o turismo ecológico visa, através de práticas corretas de uso das áreas ambientais, promover uma interação entre o turista e o meio ambiente sem causar danos ambientais. “Entretanto, tem sido muito comum, de forma irregular, aventureiros entrarem nestas áreas sem o consentimento do administrador do parque e, por desconhecimento de certas condutas, acabarem gerando transformações locais, com abertura de trilhas, banho em cachoeiras que são de captação de água para abastecimento, bem como a descaracterização da cultura local”.

As áreas em questão são o Parque Estadual Serra do Mar – Núcleo Itutinga Pilões e o Parque Estadual Xixová/Japuí, ambas com regras de atividades previstas no seu Plano de Manejo, incluindo a visitação, que é gratuita, monitorada e deve ser agendada com antecedência. “O que acontece é que pessoas sem capacitação para isso estão prometendo um dia de lazer nestas áreas e podem colocar em risco os visitantes. E ainda cobram por isso”, alerta o inspetor.

É importante destacar que, no caso da cachoeira, a situação é ainda pior, pois o local não é aberto à visitação justamente por se tratar de área de captação de água para abastecimento da Cidade.

Marques observa que este tipo de atividade ilegal tem sido monitorada e fiscalizada não apenas pela Guarda Ambiental mas também pela Polícia Ambiental e pelos gestores dos parques. Conforme legislação ambiental, os infratores estão sujeitos a penalidades como detenção de seis meses a um ano, multa que pode variar de R$ 1 mil a R$ 10 mil e apreensão dos instrumentos, quando utilizados para o desmatamento de áreas.

Para quem tem interesse em visitar os locais, Marques orienta que procure os gestores dos parques para agendar e realizar todos os procedimentos necessários, evitando assim acidentes e danos ambientais. No caso do Parque Estadual Serra do Mar – Núcleo Itutinga Pilões o contato deve ser feito pelo email [email protected] ou pelo telefone (13) 3361-8250. Já para o Parque Estadual Xixová/Japuí o contato deve é [email protected] ou o telefone (13) 3567-2190.

Denúncias também podem ser feitas à Guarda Ambiental pelo telefone 153.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *