Itanhaém convoca quem ainda não tomou vacina da Febre Amarela

NECESSIDADE – A prevenção mais eficaz contra a doença é a vacina

A Secretaria Municipal de Saúde se empenha desde o início de 2018 para imunizar os itanhaenses contra arboviroses, seja pela vacina ou por combate aos transmissores. Segundo dados de 2018, 67,5% da população já foi imunizada. Entretanto, a recomendação permanece: caso ainda não tenha tomado a dose da vacina, procure a Unidade de Saúde da Família (USF) mais próxima. O Verão é a época do ano mais propícia a proliferação do mosquito transmissor desta infecção viral, bem como Dengue, Zika e Chikungunya.

A prevenção mais eficaz contra a doença é a vacina. Além disso, também é muito importante a eliminação de focos do mosquito para se evitar a proliferação. A Secretaria Municipal de Saúde realiza treinamento e capacitação para os profissionais da área, atividades educativas junto às comunidades, nas escolas municipais e Unidades de Saúde da Família (USFs), além de bloqueio em áreas de risco que sejam suspeitas de haver foco ou proliferação.

“O perigo da Febre Amarela ainda existe, e o benefício da vacina de imunizar o munícipe e evitar a doença supera muito a possibilidade de efeitos adversos. Portanto, à população alvo é fundamental a vacinação. Além disso, o combate ao mosquito transmissor da Zika, da Chikungunya e da Febre Amarela deve continuar principalmente por conta do Verão”, alerta o médico e também secretário de Saúde, Fábio Crivellari Miranda.

“A participação social é fundamental para a eliminação de criadouros do mosquito e o cuidado deve ser constante”, afirma Sandra Gomes, coordenadora da Vigilância Epidemiológica. A Secretaria também realiza orientação à população e monitoramento  dos imóveis pelos agentes de saúde e de endemias, além do atendimento às denúncias. Esclareça suas dúvidas:

Quem pode tomar a vacina?

Acima dos 9 meses, recomenda-se a todos tomar a dose. O período é de intenso calor e final de férias, portanto, se ainda for viajar, procure tomar pelo menos dez dias antes.

Há contraindicação?

Não é recomendada para menores de 6 meses e pessoas com doenças que afetam o sistema imunológico ou que fazem tratamento com medicações imunossupressoras, como pacientes que fazem quimioterapia.

Há algum risco?

Após a dose, maior é a possibilidade de ter apenas sintomas da doença do que quaisquer outros eventos adversos. Isso explica-se porque é feita com o vírus vivo atenuado.

Qual a importância da dose?

A vacina é a forma mais eficaz de se proteger contra a doença. Quem não pode tomar, deve usar repelente ou roupas claras e com mangas compridas.

Precisa repetir a dose se já tomou a vacina?

A dose integral da vacina imuniza para a vida inteira. No caso da fracionada, a proteção é por até oito anos.

Onde posso me vacinar?

As doses gratuitas estão disponíveis nas Unidades de Saúde da Família (USFs), em rodízio durante os dias da semana, das 8 às 16 horas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *