Praia Grande já vacinou 120 mil pessoas contra a febre amarela

Dose é disponibilizada gratuitamente nas 27 Usafas

Praia Grande já vacinou 120.092 pessoas contra a febre amarela. A dose está disponível gratuitamente na Cidade em todas as 27 Unidades de Saúde da Família (Usafa), que integram a rede de Atenção Básica.

O atendimento ocorre de segunda a sexta-feira, das 9 às 16 horas. Nenhum caso da doença foi registrado no Município.

A Secretaria de Saúde Pública (Sesap) de Praia Grande, somente nesses dois primeiros meses de 2019, já imunizou 4.202 pessoas. Durante o ano de 2018, quando a campanha de vacinação contra a febre amarela teve início, foram 115.890 doses aplicadas. “Esta é uma doença perigosa e pode até matar. As pessoas que ainda não tomaram a dose podem procurar as Usafas da Cidade”, comentou o diretor da Divisão de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Rafael de Freitas Leite. 

Gestantes, lactantes, pessoas que fazem uso de corticóide (imunossupressores), alérgicos a ovo e pacientes de quimio e radioterapia não podem tomar a vacina contra a febre amarela. Pessoas acima de 60 anos devem apresentar prescrição médica.

Ações – A Divisão de Saúde Ambiental da Sesap também investe em ações que ajudam na prevenção da doença. Periodicamente, o controle do mosquito transmissor da febre amarela é feito na mata, onde são colocadas iscas entomológicas e também as ovitrampas, espécie de armadilha para mosquitos. Esses são enviados para análise em laboratório, em parceria com Sucen.

Além disso, durante todo o ano, Praia Grande realiza um trabalho intensivo de combate à dengue, o que acaba colaborando para a prevenção de outras arboviroses. São realizadas visitas domiciliares com agentes de combate a endemias, bloqueio de criadouros de mosquitos (eliminação de focos dentro das residências), intervenção em pontos estratégicos, tais como cemitério, desmanche de veículos e borracharias. 

Campanhas educativas nas unidades de saúde e escolas municipais também fazem parte das atividades. Outro destaque diz respeito as ações em grandes locais de água parada que recebem peixes da espécie Lebiste, conhecido como Barrigudinho. Esse peixe come as larvas e ovos do Aedes Aegypti e de outros mosquitos. A Cidade realiza também a nebulização de todos os canais com larvicida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: