Prefeitura alerta para casos de escorpião; qualquer suspeita pode ser denunciada

ATENÇÃO – Qualquer suspeita poderá ser informada ao Controle de Endemias pelo telefone (13) 3422-1944

Um artrópode pequeno, mas venenoso e que pode levar à morte. Este é o escorpião, animal que está cada vez mais presente no meio urbano. Para garantir a saúde dos munícipes, a Secretaria Municipal de Saúde alerta sobre medidas que a população deve adotar para prevenir ou saber o que fazer em casos de escorpiões. Qualquer suspeita pode ser denunciada diretamente ao Controle de Endemias, pelo telefone (13) 3422-1944.

Comuns em locais próximos a áreas com acúmulo de lixo, as espécies de escorpiões no Estado são o escorpião amarelo (T. serrulatus), o marrom (T. bahiensis) e o amarelo-do-nordeste (T. stigmurus). Os animais se alimentam de baratas que ficam em lixos, entulhos e esgotos. Por isso, manter a higiene em relação ao descarte do lixo, seja orgânico ou reciclável, é um dos hábitos simples capazes de prevenir graves acidentes.

Vale ressaltar que o Ministério da Saúde não recomenda a utilização de produtos químicos, como pesticidas, para o controle do escorpião em ambiente urbano. Isso porque, além de não possuírem eficácia comprovada (até o momento), os produtos podem fazer com que os animais deixem os esconderijos, aumentando a chance de acidentes.

O QUE FAZER EM CASO DE PICADA?

Caso ocorra a picada do animal, o antiveneno é indicado em casos moderados ou graves. Limpar o local da picada com água e sabão pode ser uma medida auxiliar, desde que não atrase a ida ao serviço de saúde. Se possível, é recomendado levar o animal ou uma foto para identificação da espécie, permitindo, assim, um diagnóstico mais eficaz sobre a gravidade do acidente. Vale lembrar que não é em todo caso de acidente que o soro será indicado, somente o profissional de saúde poderá fazer a avaliação.

SINTOMAS

Depois da picada é comum dor imediata, vermelhidão e inchaço leve no local por acúmulo de líquido, piloereção – pelos arrepiados – e sudorese localizada, que é o suor. Porém, crianças abaixo de sete anos apresentam maior risco de sintomas longe do local da picada, como vômito e diarreia.

TRATAMENTO

Em caso de acidente, a Secretaria de Saúde de Itanhaém recomenda que a população procure imediatamente a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itanhaém para avaliação especializada e aplicação do soro antiescorpiônico, se necessário. A UPA, que funciona por 24 horas, fica na Rua José Ernesto Bechelli, s/nº, Jardim Sabaúna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: