Mutirão de combate à dengue ocorre em diversos bairros do Município

SAÚDE – Equipes de profissionais municipais e estudantes de medicina conscientizam a população sobre a importância de eliminar o Aedes aegypti

No período de chuvas, o numero de casos de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti  aumenta consideravelmente. Isso porque os ambientes de reprodução e desenvolvimento destes animais ficam mais propícios. Por este motivo, no último dia 17, equipes da Secretaria de Saúde, com o apoio de estudantes de medicina do Centro Universitário Lusíadas, organizaram mutirões de combate à dengue que ocorreram no bairro Laranjeiras.

Um mutirão consiste na intensificação de trabalhos já feitos habitualmente, contemplando mais áreas. Com uma equipe de 30 profissionais municipais da área da saúde e 17 estudantes de medicina da Unilus, várias ações foram tomadas pelo bairro, tais como: orientação da população, por meio de visitas e distribuição de panfletos para evitar a proliferação de criadouros de mosquitos, além da nebulização e aplicação de inseticida específico.

“Esta é uma ação muito importante para a saúde da população, pois a cada dia mais casos de dengue aparecem, e é uma doença perigosíssima. O principal objetivo é diminuir o máximo possível o número de criadouros e conscientizar o próprio morador para que este se policie e faça a limpeza diária, pois qualquer coisa pode se tornar um criadouro, desde um balde a uma tampinha de garrafa.”, afirmou Sandra Bernardo, agente de endemias que coordenava uma das equipes.

Entre as instruções dadas pelos profissionais e estudantes estão: evitar deixar recipientes virados para cima que possam acumular água, o que acarreta na reprodução do mosquito, colocar detergente ou sal grosso em lugares onde a água se concentra constantemente. “O sal aumenta, consideravelmente, o nível de sódio da água, o que impede que qualquer célula se desenvolva, por desidratação. O detergente também torna o ambiente impróprio, pois a larva pode até nascer, mas sem algumas estruturas essenciais para sua sobrevivência”, disse Wilson Viera, também agente de endemias que estava comandando outro grupo.

A dengue não é a única doença transmitida pelo Aedes aegypti. Esta espécie também é responsável por outras duas doenças, a zika e a chikungunya, que têm praticamente os mesmos sintomas, sendo eles, febre, dores nas articulações, manchas vermelhas no corpo, coceiras em diferentes intensidades dependendo da doença.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.