Uso incorreto de óculos de sol amplia risco de doenças e cegueira

Trabalhadores expostos à luz solar integram grupo de risco; especialista do Hospital de Transplantes dá dicas de prevenção de doenças

No Verão, a alta incidência de raios solares acarreta em uma maior frequência no uso de óculos de sol pelas pessoas. Porém, a falta de proteção adequada à visão também faz aumentar o risco de doenças oculares.

Por isso, o Hospital de Transplantes Euryclides de Jesus Zerbini, unidade da Secretaria de Estado da Saúde gerenciada em parceria com a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), alerta à população sobre o assunto, não apenas para quem segue para a região litorânea.

Exposição

Pessoas que trabalham expostas ao sol, por exemplo, também devem ficar atentas, para não colocarem a saúde em risco. Uma das doenças que podem ser provocadas pela exposição aos raios solares UVA e UVB chama-se pterígio.

Segundo Mariana Cunial, oftalmologista do Hospital de Transplantes, a enfermidade consiste no crescimento de uma espécie de membrana que cobre os olhos, estendendo-se da parte branca até a córnea.

“Existem diversos fatores que provocam a doença, mas estudos mostram maior prevalência de pterígio em indivíduos expostos à radiação ultravioleta e que trabalham ao sol. Apesar de ser uma lesão benigna, é também potencialmente causadora de cegueira, uma vez que seu crescimento pode obstruir a pupila, impedindo a visão”, alerta.

Prejuízos

Entre os prejuízos visuais provocados pelo pterígio estão o astigmatismo e a opacificação do eixo visual. Os principais sintomas são olhos vermelhos, ardor, coceira e fotofobia. Anualmente, o hospital realiza cerca de 50 cirurgias para tratar a doença.

Além disso, a falta de proteção contra a radiação ultravioleta pode provocar outros males, como inflamação da córnea, queimadura da retina, catarata e até câncer. O uso de produtos inadequados e de má qualidade também traz riscos à integridade física, pois, em caso de quebras, existe a chance de lesões à visão, região do rosto e cabeça, além de irritação cutânea, devido ao material utilizado.

“É preciso verificar a procedência dos óculos de sol, uma vez que as lentes precisam oferecer a proteção adequada aos raios solares UVA e UVB. O tamanho das lentes também deve ser observado. Elas precisam cobrir toda a região ocular”, alerta a oftalmologista.

Precauções

De acordo com a médica Mariana Cunial, os pacientes devem estar atentos às ações de prevenção, como a ida regular ao oftalmologista e as precauções ligadas à lubrificação dos olhos.

“A exposição ao sol faz mal para a retina, assim como no caso da pele. Nem todos os óculos comercializados têm filtro contra os raios solares”, alerta Angela Bettarello Parizan, oftalmologista do Hospital de Transplantes.

O uso inadequado dos óculos de sol pode ter uma ligação com o desenvolvimento da degeneração macular relacionada à idade (DMRI), enfermidade mais frequente em pacientes idosos. De acordo com a oftalmologista, a evolução da doença depende de fatores genéticos e de alterações secundárias vinculadas à questão ambiental, como o tabagismo, a hipertensão e à incidência de raios nocivos na retina.

Vale destacar que a DMRI ocorre em uma parte da retina chamada mácula (na região central) e que leva a perda progressiva da visão central, uma das causas mais comum de perda da visão em pessoas acima de 50 anos. Muitas pessoas não sabem que têm a enfermidade até que tenham um problema na visão perceptível ou até que a doença seja diagnosticada em consulta.

Dicas

O uso de óculos escuros, boné e chapéu é considerado uma medida útil para prevenção contra os efeitos dos raios solares à visão. Porém, a população deve ficar atenta na hora de comprar os produtos e, no caso dos óculos, obedecer a alguns critérios básicos, como:

– Ficar atento à proveniência e qualidade geral do item adquirido, observando pontos como resistência e material utilizado em sua fabricação;

– Exigir que as lentes tenham proteção UVA e UVB;

– O modelo deve proteger toda a área dos olhos, visando diminuir a incidência de raios solares na região ocular;

– Caso seja praticante de esportes ao ar livre, utilize óculos especiais para a modalidade em questão, como natação, corrida e ciclismo, entre outros.

Portal do Governo de São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *