Projetos de modernização de rodovias brasileiras devem ampliar segurança e fluidez das vias

Por Sylvio Calixto

Trafegar em rodovias equipadas com soluções e sensores que conectam as concessionárias e seus usuários instantaneamente. Ter acesso a informações em tempo real para possibilitar a tomada de decisões das entidades de fiscalização e, além disso, propiciar maior fluidez no tráfego de veículos e segurança para motoristas e passageiros. Toda essa modernização atrelada à tecnologia é um sonho para a infraestrutura viária de qualquer país.

No Brasil, esse cenário está cada vez mais possível. Uma das iniciativas mais recentes é o Programa de Modernização de Rodovias Federais, o [email protected], recentemente anunciado pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. Os pilares do Programa estão baseados em Segurança, por meio da preservação da vida e repressão de crimes; fluidez, para proporcionar um deslocamento eficiente e o investimento em tecnologia, facilitando a comunicação entre entidades e usuários por meio de acesso 4G, 5G e Wifi, além do pedágio com cobrança proporcional ao trecho percorrido, também chamado de Free Flow.

Esse sistema tem chamado a atenção dos usuários por permitir cobranças proporcionais ao quilômetro rodado por meio de portais instalados pela via, ao invés das tradicionais praças de cobrança. Ele já é realidade há alguns anos em países da Europa e da América do Norte, além do Chile, na América Latina.

Essa tecnologia vem ao encontro dos avanços necessários também no Brasil. Percorrer as estradas sem precisar parar nas praças de pedágio é um desejo de muitos motoristas que já estiveram em outros países e puderam utilizar o sistema de passagem ou fluxo livre.

A solução vai além da agilidade e da inovação tecnológica. O pagamento proporcional ao trecho percorrido reflete em uma coleta da arrecadação de uma forma mais justa, proporcional ao uso da via. Atualmente, em várias rodovias, como a Via Dutra, por exemplo, estima-se que menos da metade dos veículos efetivamente paga pelo pedágio, por trafegar em trechos não alcançados pelas praças de cobrança.

Um outro ponto benéfico aos usuários é a prevenção de acidentes que ocorrem nas praças de pedágio. Casos como o ocorrido em abril deste ano, quando houve um acidente fatal na Rodovia BR 050, com um caminhão que trafegava desgovernado e acabou colidindo com os veículos parados na praça. O sistema Free Flow também é uma medida que privilegia a segurança dos usuários.

Com a implementação do sistema de fluxo livre, sistemas com base em inteligência artificial poderão ser aplicados para a fiscalização de veículos infratores. Esses sistemas podem auxiliar no controle de evasões de cobrança nesses trechos. O Compare, sistema que identifica veículos mesmo que a placa esteja adulterada, é uma das soluções capazes de prevenir essa conduta.

Atualmente no Brasil muitas empresas possuem estrutura tecnológica para suportar a modernização anunciada. Muitas delas genuinamente nacionais, com desenvolvimento e fabricação local. Espera-se benefícios práticos refletidos na sociedade nos aspectos de modernização, conforto e segurança viária. Mas também outros benefícios, de cunho econômico, refletidos no fortalecimento das empresas nacionais e na geração de novos empregos com forte base tecnológica.

*Sylvio Calixto é CEO da Pumatronix.

Sobre a empresa – A Pumatronix é uma indústria brasileira, líder em desenvolvimento de soluções para ITS (Sistemas de Transporte Inteligente) de alta tecnologia na captura e processamento de imagens e leitura de placas de veículos (OCR/LPR). Os constantes investimentos em P&D resultam em soluções inovadoras para mobilidade urbana e rodoviária, contribuindo assim para a modernização de Cidades Inteligentes. Saiba mais em: https://pumatronix.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *