Mongaguá e região se articulam para implantarem logística reversa

A gestão dos resíduos sólidos urbanos é uma das prioridades de atuação da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). E para progredir no tema, o órgão promoveu uma reunião com representantes dos municípios da Baixada Santista para debater a logística reversa, na quinta-feira, 28 de fevereiro, na sede da empresa.

No encontro, a diretora-presidente da CETESB Patrícia Iglecias destacou que está à disposição para apoiar a viabilização da participação dos municípios na logística reversa.

Já os municípios, cientes da importância de gerir adequadamente os resíduos, precisam de apoio técnico e também querem participar ativamente na construção de uma política municipal de resíduos sólidos.

Durante o debate, os técnicos da CETESB, Lia Helena Demange e João Luiz Potenza, esclareceram dúvidas e deram exemplos de como implantar a logística reversa.

Atualmente, vigora na CETESB a fase 2 dos termos de compromisso para logística reversa de resíduos pós-consumo. Embalagens de agrotóxicos, filtros usados de óleo lubrificante automotivo, óleo comestível, pilhas e baterias portáteis, baterias inservíveis de chumbo ácido, embalagens plásticas usadas de lubrificantes, embalagens vazias de saneantes desinfetantes e desinfetantes de uso profissional, produtos eletroeletrônicos de uso doméstico, embalagens em geral (FIESP, CIESP e ABRELPE) e embalagens em geral (ABIHPEC, ABIPLA e ABIMAPI).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.