Alimentação saudável é a opção na Feira do Produtor deste sábado

AGRICULTURA – Produtos estão à venda toda semana no estacionamento do Paço Municipal, localizado na Rua Cunha Moreira, Centro

Que tal comprar frutas, hortaliças, legumes e verduras tudo fresquinho vindo direto do campo para a sua mesa, sem agrotóxicos? Em Itanhaém, os produtos estão disponíveis para a população todos os sábados na Feira do Produtor, que acontece das 8 às 16 horas, no estacionamento do Paço Municipal, localizado na Rua Cunha Moreira, Centro.

O projeto ‘Feira da Agricultura Familiar de Itanhaém’ foi elaborado em 2009, sendo colocado em prática dois anos depois, e firma a política de Segurança Alimentar Nutricional local, que conta com o Programa Banco de Alimentos, Programa de Aquisição da Agricultura Familiar (PAA), nas modalidades Compra para Doação Simultânea e Alimentação Escolar.

É uma parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, por meio do Departamento de Agricultura e Banco de Alimentos, a Associação dos Produtores Rurais da Microbacia Hidrográfica do Rio Branco (Amibra), e o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, do Governo Federal. Tem como objetivo fortalecer a comercialização dos produtos oriundos da agricultura familiar, melhorando a geração de renda e garantindo o acesso da população a produtos de melhor qualidade.

Um livro de receitas feitas com os produtos que cultivam foi publicado em 2013 e tem sua edição disponível no site da Prefeitura. Mousse de maracujá, torta de banana, vinagrete de palmito pupunha, doce de chuchu, bolinho de mandioca, bolo de limão e suco de mandioca são algumas das delícias publicadas.

SELO DE QUALIDADE

Atestando a qualidade oferecida pela Feira do Produtor, nos produtos pode ser encontrado o Selo da Identificação da Participação da Agricultura Familiar (SIPAF). É uma ferramenta de visibilidade e valorização dos agricultores familiares, criado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

Para quem produz, o Selo é instrumento de agregação de valor e de identidade e para quem adquire o resultado é a garantia de saber a origem dos produtos consumidos, além de contribuir para a promoção da sustentabilidade, da responsabilidade social e ambiental, e da valorização da produção regional e da cultura local. Atualmente, a identificação beneficia cerca de 110 mil agricultores familiares no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *